Benefícios das Fibras Alimentares

Por que comer Fibras faz bem à saúde e quais as Melhores Fontes de Fibras

Benefícios das fibras alimentares são diversos principalmente para o bom funcionamento do nosso intestino. Curiosamente as fibras não são digeridas pelo organismo humano. Por isso durante muito tempo elas foram consideradas como dispensáveis na alimentação.

Benefícios das Fibras Alimentares

Tudo mudou quando os primeiros estudos sobre a ingestão de fibras começaram a mostrar que, mesmo não sendo digeridas, a simples passagem pelo organismo trazia benefício. O primeiro destaque foi para o efeito no trânsito intestinal, uma vez que a presença das fibras contribui para a formação do bolo fecal. E com o avanço das pesquisas, novas descobertas mostram que as fibras ajudam no emagrecimento e na prevenção de doenças.

Antes de falarmos mais especificamente sobre os benefícios para a saúde, é fundamental mencionar quais alimentos são fonte de fibras. De um modo geral, todo alimento de origem vegetal contém fibras. É claro que alguns contêm fibras em maior quantidade que outros. Além disso, os processos industriais podem interferir no teor de fibras de certos grãos, como o arroz.

Frutas e verduras são excelentes fontes de fibras. Porém, é importante destacar que as cascas e talos são mais fibrosos. Por isso, é sempre bom usar essas partes geralmente descartadas de alguma forma. A casca das frutas, por exemplo, pode ser usada no preparo de sucos e geleias, bolos. Já os talos de vegetais ficam deliciosos em tortas salgadas e patês.

Os cereais também contêm alto teor de fibras, assim como algumas sementes. Alimentos com a aveia, a linhaça, a chia e a semente de abóbora são riquíssimos em fibras, além de conterem outros nutrientes essenciais para a saúde. A farinha de trigo comum é pobre em fibras, mas a versão integral mantém as propriedades do grão. Por essa razão, massas feitas com farinha integral são mais benéficas.

Benefícios das Fibras para o Funcionamento do Intestino

Durante o processo de digestão, nosso organismo separa os nutrientes que podem ser utilizados na nutrição celular e descarta tudo aquilo que não serve por meio das fezes. As fibras são descartadas porque, como dissemos, não podem ser absorvidas pelo organismo. Juntamente com os outros detritos da alimentação, as fibras compõem o bolo fecal.

Elas tornam esse bolo mais consistente, o que facilita a devida eliminação. Além disso, as fibras do tipo solúvel formam uma cobertura gelatinosa, melhorando o trânsito das fezes pelo intestino. Dessa forma, a ingestão de alimentos fibrosos é fundamental para quem sofre com a prisão de ventre. Eles também ajudam na prevenção de doenças que atacam os intestinos, como alguns tipos de câncer.

Benefícios das Fibras para o Emagrecimento

Falamos no tópico anterior sobre as fibras solúveis, mas não explicamos como elas funcionam. Existem nos alimentos dois tipos de fibra: as solúveis e as insolúveis. As solúveis são dissolvidas em contato com a água, formando uma substância gelatinosa. Esse gel que se forma no interior do intestino torna a digestão mais lenta e dificulta a absorção de partículas de açúcar e gordura.

Algumas dessas partículas ficam “coladas” no gel das fibras e são eliminadas por meio das fezes. Assim, as fibras do tipo solúvel ajudam no emagrecimento, porque aumentam a sensação de saciedade. Além disso, elas também contribuem para o controle do colesterol e para a prevenção do diabetes.

Benefícios das Fibras para a Saúde

O nosso sistema digestivo está repleto de bactérias, mas esses microrganismos, diferentemente do que muitos pensam, nem sempre são nocivos. A chamada macrobiota ou flora intestinal desempenha funções importantíssimas para o corpo humano. Quando as fibras estão presentes na alimentação, essas bactérias do bem as fermentam para se alimentar, produzindo ácidos graxos essenciais para o nosso sistema celular.

Quanto maior for a quantidade de fibras ingeridas, maior será a proliferação das bactérias benéficas. E nosso organismo se aproveita desses microrganismos para treinar o sistema imune. Assim, quando bactérias nocivas atacam o corpo, as células da imunidade já estão preparadas para combater o problema.